sexta-feira, 19 de junho de 2009

O lindo vale.

O mês era de outono, folhas caídas pelo chão formando um lindo tapete pelo caminho que ela seguia, o vento batia em seu rosto, quase querendo à beija – lá olhava para o céu era de um azul incrível nuvens passavam passageiras como se estivessem correndo para apreciar o sol ao longe fraco pela estação.
Em uma caminhada para tirar o estresse encontrou ali mesmo perto de sua casa um tipo de um vale dentro de uma cidade, seria possível um lugar daquele ainda existir? Não importava para ela, o que importava era que aquele pequeno vale a deixava feliz.
Sentada ali apreciando passarinhos brincarem com a terra, começou a chorar pensando o porquê ela não tinha sido feliz, por que tinha trabalhado tanto poderia ter tirado férias, tinham tanto lugares que poderia conhecer ou mesmo descobrir, amores a viver comidas a saborear bebidas a degustar fragrâncias a sentir. Poderia ter tido filhos, sim!Uma linda menina que teria os olhos do único Homem quem a amou, sim Aquele que fez vários jantares românticos para eles, mas Ele sempre dormia a esperando, porque ela sempre tinha que ser a ultima a sair da empresa e quando chegava a vela já tinha derretido a comida esfriado e Ele roncando de leve no sofá.Em uma das varias noite em que chegava tarde Ele não estava mais lá, tinha à deixado, em seu quarto na cama encontrou um bilhete escrito quando as folhas das arvores estivessem caindo, o sol estivesse fraco ao longe e nada em sua vida fizesse mais sentido, e ela não tivesse mas aonde se apoiar ela enfim entenderia o porque Ele à tinha lhe deixado e Ele saberia que ela tinha entendido.Como se fosse um filme aquele bilhete ficava dando voltas em sua mente tentando entender como Ele saberia que enfim ela compreendeu o que tinha feito, não importava,não mais agora ela não tinha tempo para enigmas se Ele disse que saberia ela confiava sua vida Nele, mesmo que só tivesse duas ou três horas, sim ela estava morrendo envenenada o que importava para ela era poder morrer ali mesmo naquela vale lembrando dos poucas momentos felizes que ela tinha vivido.E quando ao longe começava o crepúsculo e aos poucos seu olhos começavam a pesar e sua respiração ficava cada vez mais fraca Ele apareceu, como se fosse um milagre Ele estava li diante dela com aquele lindo sorriso torto que Ele sempre dava quando ela chegava cedo do trabalho mas tinha algo diferente nos seus olhos sim estavam vermelhos como...como se estive se chorando mas porque Ele estava chorando ela estava feliz em reencontrar seu amado,com as pontas do seus dedos ela toco de leve sua face e sussurrou que agora sim poderia partir em paz não aquentando ela fechou seus olhos e a ultima coisa que sentiu antes que a escuridão a puxasse para longe foi os lábios macios Dele tocando o seus e sussurrando te encontro do outro lado meu anjo.

Um comentário:

may disse...

NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSSA QUE LIIIIIIIIIIIIINDO *-* AMEI!