terça-feira, 20 de julho de 2010

Realmente não foi tão simples assim

Hoje acordei confiante e otimista.

Não que eu estivesse totalmente preparada para o que me esperava, mais tinha esperança que ia me dar bem.

O dia estava um pouco frio e pela primeira vez em quase uma semana o sol nasceu tímido ao longe. Sai de casa com um” boa sorte”da minha mãe e um super abraço da minha avó, que dizia que ia rezar por mim. Cheguei ao local marcado com o pé direito, encontrei minhas amigas e esperei. Fizemos uma oração em grupo demos umas risadas e foi liberada a entrada para o último dia do vestibular da UEM de inverno. Não podia ser tão difícil igual aos outros dias era prova especifica, minhas matérias favoritas. Fiz mais uma vez uma oração e abri a prova. E minha confiança foi por água abaixo, tinha coisas que eu não tinha estudado ainda, na verdade a maioria da prova eu não sabia resolver. Como você pode fazer uma coisa que ainda não aprendeu? Bom não pode, mas eu tentei, tentei e tentei muito. Foi a prova que eu mais quebrei a cabeça pra fazer, olhava para os lado e todo mundo tava resolvendo e eu lá boiando, então resolvi desistir e comecei a chutar as que eu não sabia. Entreguei a prova ao fiscal com o coração apertado e sai da sala. O clima mudou, ficou frio demais e triste, completou meu estado de espírito. Liguei para minha prima e ela já tinha saído da prova e tava me esperando, ela também tinha ido mal, disse que o namorado dela tava vindo buscar e me ofereceu uma carona, decidi recusar. Liguei pra Mayara pra sabe se ela tinha saído, ela tinha tava até na casa dela. Então fui embora. Quando abri o portão de casa minha cachorra veio me receber como sempre fazia, me abaixei e abracei ela, minha avó tava na porta me esperando contei pra ela tinha ido mal na prova e ela me abraçou disse que não era ainda a minha vez de passar. E ela tem razão não estudei o suficiente pra passar e tinha gente lá que merecia aquilo mais do que eu, mais mesmo assim me senti derrotada. Minha mãe me ligou e disse pra não ficar triste final do ano tem mais.

Claro que eu não deveria me sentir culpada por chutar mais da metade da prova, estou cursando o 3° do ensino médio e estudando pra passar no final do ano letivo,mas por que é tão difícil superar uma derrota que você sabia que não ia vencer?

Se alguém ai souber a resposta me conte, pra tentar acalmar meu coração.


Não saiu o resultado, mais pelas minhas contas nem a nota da redação ia me salva.


7 comentários:

Ana disse...

É realmente muito ruim quando se está confiante e repentinamente tudo vem abaixo. O importante é persistir, assim, no final do ano, tudo aquilo que você não soube fazer será tão fácil como respirar, bom, não tão fácil quanto, mas fácil, haha.
Beijos!

may disse...

é lauura, nessa eu tambem me fudi! mas tambem seria muuuuuuuuuita cagada a gente passar agora ne? Mas é isso, deixa a esperança e a confiança nos mover!

Nicole Bernardes disse...

Amore, obrigada pelos recadinhos e elogios ;)
bjinhosss

Grafite disse...

és uma querida, obrigada pela visita...

beiijo,
*.*

may disse...

laaura, indiquei você em joguinho la do meu blog :) ;**

may disse...

laaura, indiquei você em joguinho la do meu blog :) ;**

Laís Bratfisch disse...

acredite. e tudo dará certo :)
hoje, amanhã, depois...

acredite!
gostei do blog.